Contratam-se idosos: principalmente para trabalhar na linha de frente com o consumidor

Posted by
Na maioria das vezes, o jovem não tem a sabedoria, experiência e paciência necessárias para exercer essa função; veja alguns cursos gratuitos que podem melhorar seu currículo
 
por Danielle de Moura Mota, especialista estadual em Saúde do Senac em Minas
 
Anos atrás, ao mencionar a palavra idoso, remetíamos à construção mental de uma pessoa doente, sem vontade própria, tricotando na cadeira de balanço, tratada como uma criança e diminuindo seu ritmo por estar próxima ao fim da vida.
 
Hoje a realidade é diferente. Se você ainda está enraizado aos pensamentos antigos, é hora de refletir e olhar ao redor, dar valor à pessoa idosa e aprender com os “causos” contados por ela. Infelizmente, o Brasil ainda não se atentou culturalmente para a importância da terceira idade. Hoje você é jovem, e amanhã? O envelhecimento médio da população vem aumentando. De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2013, o número de pessoas idosas no Brasil era de cerca de 23,5 milhões, o equivalente a 12% da população. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), até o ano de 2025, esse número subirá para 32 milhões, levando o país a sexto no mundo em número de pessoas com mais de 60 anos.
 
Com o aumento da expectativa de vida, as empresas começam a se interessar pela contratação ou permanência dos colaboradores acima dos 50 anos de idade. Como a fidelização do cliente é a fórmula do sucesso, muitos idosos estão sendo contratados para trabalhar nas linhas de frente com o consumidor, já que, na maioria das vezes, o jovem não tem a sabedoria, experiência e paciência necessárias para exercer essa função.
 
O retorno de pessoas acima de 50 anos ao mercado de trabalho não se restringe somente à experiência, mas à vontade de permanecer ativos, estar atentos às novas tecnologias, conviver com os colegas de trabalho e, principalmente, sentirem-se valorizados como seres produtivos. Está relacionado também à questão financeira, pois muitos passam por uma redução da renda depois da aposentadoria, enquanto os valores gastos com medicamentos, por exemplo, costumam aumentar.
 
Ao mesmo tempo em que expande sua atuação como pessoa economicamente ativa, o idoso também tem se tornado público-alvo das empresas. O perfil dos consumidores vem se modificando, fazendo com que os produtos, serviços e atividades de turismo e lazer, por exemplo, sejam adaptados a esses novos clientes. A terceira idade está em discussão nas reuniões sobre marketing e inovações das empresas de todos os setores.
 
O Senac de Minas Gerais, por exemplo, na condição de formador de profissionais para o comércio de produtos e serviços, tem inserido em seu portfólio cursos voltados para esse público, seja para atuarem no mercado de trabalho, ou simplesmente lidarem melhor com as novas tecnologias. 
 
Confira aqui os cursos gratuitos oferecidos pelas unidades do Senac em Minas Gerais. Veja também outros Estados em que o Senac oferece o Programa de Gratuidade.
 
 
 
 
 

Deixe um comentário