Liberdade, independência e qualidade por toda vida: essa é a proposta de Denize Terra, criadora do programa “Longevidade com Qualidade”

Os idosos do século XXI tem um mundo de possibilidades pela frente, liberdade para ser o que quiserem, literalmente, mas para isso, a qualidade desta vida que está cada vez mais longeva, deve ser buscada diariamente.

Ana Vargas

Envelhecimento saudável, longevidade, nova visão da velhice; velhinhas tatuadas e saltando de paraquedas ou bem quietas, fazendo seus tricôs e cuidando dos netos como naquelas imagens que nos acostumamos a ver… Pois é, hoje em dia, as visões possíveis da velhice são muitas e diariamente vemos matérias sobre mulheres mais velhas que são modelos, que estão sendo mães aos 60, que estão abrindo novos negócios, escrevendo livros, inventando receitas… A lista de possibilidades para vivenciar essa fase da existência é infinita e depende da criatividade e da ousadia de cada um, certo? Mas, para encarar estas variadas possibilidades, uma coisa é certa e comum a todos: é preciso ter saúde, ânimo e estar, ao menos, com os músculos em dia para que o corpo aguente as tantas exigências que o século XXI permite e proporciona aos idosos desta nossa época. Sim, dá para fazer uma tatuagem do neto caçula, dá para abrir uma doceria ou uma loja de roupas, mas se não há saúde e o corpo trava diante de qualquer esforço, não há visão moderna da velhice que dê jeito, não é mesmo? Pois essa máxima já foi percebida pela Denize Terra há muito tempo e o trabalho que ela realiza em torno da qualidade de vida dos idosos e que tem o inspirado nome de “Longevidade com Qualidade” está aí para comprovar que funciona de verdade. E tudo começou quando ela percebeu que daria para reunir em um só ‘pacote’,  séries de exercícios físicos feitos, especialmente, para pessoas mais velhas que querem continuar vivendo com qualidade, liberdade e independência, não importa a idade que tenham hoje, e por toda a vida.  Pessoas que talvez não gostem do ambiente coletivo das academias, que estejam com pouco dinheiro agora para comprar acessórios e que tenham acesso à internet, ou seja, Denize pensou de forma prática, objetiva e moderna, em você que está lendo essa matéria ou que talvez conheça alguém _ seus pais, aquela amiga e/ou amigo, ou outro familiar _ que tem reclamado de dores no corpo e também anda se queixando que não consegue mais andar sem se sentir muito cansado (entre outras ‘coisas’). Você se identificou ou reconheceu alguém nesse perfil genérico? E você gostaria de encontrar um caminho possível que o faça se sentir mais animado e saudável? Então, acompanhe a entrevista que a Denize nos concedeu, conheça sua trajetória e entenda porque ao elaborar  os exercícios do programa “Longevidade com Qualidade” ela quis realmente melhorar, na prática,  o cotidiano de pessoas que já passaram dos 60, que estão quase ‘lá’; que já viveram muitas etapas sim, mas querem continuar seguindo com saúde e disposição para encarar as próximas que hão de vir!

 Antes, vale ressaltar que a Denize,  mineira de Belo Horizonte nascida no começo dos anos 1980, teve a grata oportunidade de conviver com idosos e talvez tenha se originado aí seu desejo de vê-los vivendo o dia a dia de maneira mais produtiva e saudável… Para saber, leia a agradável conversa que tivemos com ela.

Denize, você teve uma infância ativa? Quais as brincadeiras de que mais gostava?

Eu tenho quatro irmãs com idades muito próximas e muitos primos. Então, brincávamos sempre juntas! Me lembro de várias brincadeiras em várias fases da minha vida. Me lembro de brincarmos de pular elástico, amarelinha, cabra-cega, esconde-esconde, queimada, andar de bicicleta na rua e em volta da Lagoa da Pampulha, ir ao clube aos domingos e nadar na piscina, além de jogar vôlei.

E quanto às atividades físicas? Gostava de esportes? Se sim, quais eram os preferidos?

Sim, sempre pratiquei esportes. Meu pai nos incentivava muito e nos ensinou a nadar e a jogar vôlei. Quando tinha uns sete anos, meu pai me colocou na natação porque tinha muitas crises de asma. Depois que fiz natação, nunca mais tive nenhum problema respiratório. No colégio todo ano tinha olimpíadas, desde a 1ª série do fundamental. Eu sempre participava de quase todos os esportes e ganhei muitas medalhas. Aos 11 anos, entrei na escolinha de vôlei do colégio e, a partir de então, nunca mais parei de jogar vôlei! Joguei vários campeonatos estudantis, estaduais e até brasileiros. Eu só parei de jogar quando tive as minhas filhas mas, esse ano,  já retornei. Não consigo ficar longe do vôlei!

A partir de que momento você soube que gostaria de trabalhar em algo ligado à atividade física? Conte sobre essa descoberta.

O vôlei me ensinou muito a respeito da vida. Com ele, aprendi que é preciso dedicação, comprometimento, responsabilidade, liderança e  trabalho em grupo para conquistar a vitória. Mas que, mesmo assim, às vezes não conseguimos e faz parte. Temos que aprender a lidar com as derrotas e as frustrações.  Por isso, resolvi fazer Educação Física. Eu achei que iria trabalhar com vôlei mas, durante a faculdade, aprendi como o exercício físico pode melhorar a saúde e a qualidade de vida das pessoas.

Gostaria que você ‘falasse’ brevemente sobre sua trajetória profissional e acadêmica.

Me formei em 2003 e comecei a trabalhar com idosos e com pessoas que tinham problemas de saúde. Percebi que precisava aprofundar meus conhecimentos para trabalhar com essas pessoas, então, fui fazer uma pós-graduação e terminei em 2005 com o tema exercício físico para pessoas com problemas de saúde: idosos, hipertensão, diabetes, osteoporose, obesidade e outros. Mais tarde entrei no mestrado e a minha pesquisa foi para verificar os efeitos da musculação na pressão arterial de idosas hipertensas. Foi uma pesquisa de três meses e na qual havia mais de 100 alunas. Muitas andavam com dificuldade, tinham limitações físicas, muitas dores nos joelhos e na coluna. Ao final do programa, todas disseram estar mais felizes, mais dispostas, sem dores, fazendo coisas que não conseguiam fazer há anos, com mais saúde e com as doenças mais controladas. Era um grupo muito legal e os resultados foram maravilhosos!

O que a levou a querer trabalhar com pessoas mais velhas? De onde vem essa preferência pelos idosos? Em sua família, você conviveu com idosos?

Na verdade, eu sempre gostei de estar com as pessoas mais velhas. Eu tive o prazer de conviver com duas bisavós e com meus avós, que ainda estão vivos. Ficava horas ouvindo os casos das minhas avós, de como foi a infância no tempo deles etc.

Sua opção profissional por trabalhar com idosos vem dessa convivência próxima com eles?

Sim, sem dúvida! Mas foi em 2008, quando terminei o mestrado, que tive a certeza que não queria parar de trabalhar com idosos pra melhorar a qualidade de vida deles. Eu vi isso na prática!

Me formei em 2003 e comecei a trabalhar com idosos e com pessoas que tinham problemas de saúde. Percebi que precisava aprofundar meus conhecimentos para trabalhar com essas pessoas, então, fui fazer uma pós-graduação e terminei em 2005 com o tema exercício físico para pessoas com problemas de saúde: idosos, hipertensão, diabetes, osteoporose, obesidade e outros. Mais tarde entrei no mestrado e a minha pesquisa foi para verificar os efeitos da musculação na pressão arterial de idosas hipertensas.

Fale sobre a primeira vez que você pensou no Programa ‘Longevidade com Qualidade’: como essa ideia surgiu? Você se inspirou em alguma ideia em especial?

Eu não me sentia feliz, porque eu sabia que poderia ajudar mais pessoas acima de 60 anos a terem um envelhecimento saudável, ativo e feliz. Mas eu não sabia como.  Atualmente, existem vários programas de exercícios para as pessoas emagrecerem, mas não existia nenhum programa de exercícios físicos para idosos.  Além disso, apesar de muitas pessoas acharem que os idosos não estão conectados na internet, descobri que há mais de sete milhões de pessoas acima dos 60 anos usando o Facebook. Então, eu pensei: por que não criar um programa de exercícios que eles possam fazer em casa?

Como foi a fase inicial? Como foram surgindo as ideias para a elaboração dos exercícios? Como você os associou ao dia a dia dos idosos?

 O planejamento das aulas demorou um pouco. Eu pesquisei muito sobre os principais problemas dos idosos para então, elaborar os exercícios do programa que pudessem ajudá-los a melhorar a saúde, retardar as perdas causadas pelo envelhecimento e mantê-los independentes fisicamente, garantindo uma vida mais longa e com qualidade. Foi onde surgiu a ideia do nome ‘Longevidade com Qualidade’! Além disso, eu sempre tive a preocupação de usar exercícios seguros que não causassem nenhuma lesão nos meus alunos. Todos os exercícios do programa foram planejados e pensados levando em consideração a necessidade dos idosos, as dores e problemas relacionados à idade, a segurança e a aplicação prática em suas vidas.

 Como são compostos os exercícios?

Os exercícios utilizados têm o objetivo de retardar os efeitos negativos do envelhecimento, principalmente, sobre a capacidade física. Por isso, são usados exercícios que trabalham a força muscular, o equilíbrio, a flexibilidade, a mobilidade, agilidade e até a parte cognitiva.

Atualmente, existem vários programas de exercícios para as pessoas emagrecerem, mas não existia nenhum programa de exercícios físicos para idosos. (…) O planejamento das aulas demorou um pouco. Eu pesquisei muito sobre os principais problemas dos idosos para então, elaborar os exercícios do programa que pudessem ajudá-los a melhorar a saúde, retardar as perdas causadas pelo envelhecimento e mantê-los independentes fisicamente, garantindo uma vida mais longa e com qualidade.

Qualquer idoso pode fazer os exercícios? Mesmo aqueles que possuem limitações físicas?

Sim, independentemente da idade, mas desde que não possuam problemas graves de saúde que contraindiquem a realização de exercícios físicos. Quem determina isso é o médico.  Na verdade, as pessoas mais velhas são as que mais percebem melhoras com os exercícios. Além disso, grande parte das limitações físicas são causadas por fraqueza muscular. Sim, isso mesmo. O sedentarismo e o processo de envelhecimento levam à perda dos músculos com o passar dos anos. Essa é a principal mudança relacionada à idade, que começa a partir dos 50 anos e se acelera a partir dos 70 anos. A perda de força muscular enfraquece os ossos, sobrecarrega a coluna e as articulações, podendo ser a causa de dores nas costas, nos joelhos e de problemas de equilíbrio, dificuldade de se locomover e de realizar atividades simples que antes a pessoa realizava com muita facilidade. Tudo isso pode evoluir para que a pessoa dependa fisicamente de alguém na sua rotina diária. A única forma de evitar a perda de força muscular é fazendo exercícios de fortalecimento muscular. Como eu sei que a maioria das pessoas não gosta de fazer exercícios e não faz há anos (ou nunca fez), no começo, os exercícios são bem fáceis e não se tem aquela sensação de cansaço desagradável. Ainda, cada pessoa pode adaptar o exercício de acordo com a sua condição física ou limitação. Assim, todos conseguirão acompanhar as aulas.

Gostaria que você citasse exemplos ou casos de pessoas que tiveram melhoras em problemas de saúde após terem feito os exercícios propostos.

Eu poderia citar vários exemplos de como o exercício melhorou a saúde e  qualidade de vida dos meus alunos, mas vou citar somente os casos da ‘dona’  Ruth e do Eliezer que me enviaram os seguintes relatos:

“Sou uma mulher de 75 anos. Até os 50 anos, nunca tinha feito exercícios físicos e  não pretendia fazer até que tive uma dor fortíssima na coluna e descobri que era uma hérnia de disco na lombar. Foi uma crise tão violenta que fui para o hospital e fiquei 11 dias internada. Meu médico não quis operar e a única solução era fortalecer a musculatura da coluna com caminhadas diárias. Não vou mentir, mas no começo foi muito sacrifício!  Aí, com 56 anos, fraturei a coluna na parte torácica. Foi um trauma grande e doloroso! Mas, graças a Deus, não tive sequelas. No entanto, já estava com muitas dificuldades motoras como, por exemplo, para me levantar do chão ou colocar as meias. Daí então, fiquei muito travada e a orientação do meu médico foi, imagine, fazer caminhada e musculação para fortalecer a musculatura da coluna a fim de protegê-la. A disposição, a postura e a saúde de um modo geral, tudo melhorou, melhorou tanto que hoje sou mais saudável do que jamais fui. Certamente, se eu não fizesse exercício físico, hoje, aos 75 anos, eu viveria com muita dor e precisaria da ajuda de outras pessoas em várias tarefas do meu dia. Ah! Também sempre tive muita dor de cabeça e isso também melhorou muito com o exercício. Atualmente faço musculação duas vezes por semana, pilates, uma vez por semana e caminhada, duas vezes por semana, com mais prazer. Hoje eu posso dizer que valeu a pena!

Eliezer tem 63 anos e me pediu ajuda porque estava tendo dor nas costas há algum tempo.

“Após fazer exames de tomografia computadorizada constatou-se um ‘treco’ na coluna que doía. O médico então passou um analgésico sublingual e recomendou fisioterapia, mas eu fui protelando só com o medicamento. Quando conheci a Denize, ela me passou um vídeo com apenas um exercício e eu comecei a fazer. O alívio da dor foi rapidinho, no terceiro dia, acho que acertou na mosca. Além de ter melhorado a dor nas costas, depois que comecei a fazer os exercícios, me deu mais vontade e disposição e os benefícios são fantásticos. Um deles é o aumento da libido. Quando a idade vai chegando a sensação é de estar descendo uma escada, bem devagar. Com os exercícios da Denize, achei que estou subindo agradavelmente esta mesma escada que antes descia. O bacana de tudo é a forma prática da Denize, sem mobilização. É só querer e fazer!”

O sedentarismo e o processo de envelhecimento levam à perda dos músculos com o passar dos anos. Essa é a principal mudança relacionada à idade, que começa a partir dos 50 anos e se acelera a partir dos 70 anos. A perda de força muscular enfraquece os ossos, sobrecarrega a coluna e as articulações, podendo ser a causa de dores nas costas, nos joelhos e de problemas de equilíbrio, dificuldade de se locomover e de realizar atividades simples que antes a pessoa realizava com muita facilidade. Tudo isso pode evoluir para que a pessoa dependa fisicamente de alguém na sua rotina diária

Além da vocação nata e do conhecimento acadêmico, um trabalho como o seu exige uma inspiração mais ampla e uma afeição pela própria vida, certo? Onde você encontra essa inspiração?

Eu descobri recentemente que isso é muito mais do que um trabalho para mim. Eu descobri que essa é a minha missão de vida. Cada pessoa tem a sua missão, a sua forma de contribuir para o mundo e para a sociedade. E a minha é melhorar a qualidade de vida das pessoas através do exercício físico. Confesso que a “ficha” demorou a cair, mas quando caiu é como se a minha vida fizesse mais sentido.

O ‘Longevidade com Qualidade’ é tão bem construído que você pensou em duas coisas importantes: o preço acessível e o uso de materiais que as pessoas têm em casa. O que a levou a formatar o programa sob estes dois pilares?

Como eu disse anteriormente, quando eu descobri que essa era a minha missão, eu pensei em poder ajudar o maior número possível de pessoas. Eu sei que existem alguns problemas que impedem as pessoas de fazerem exercícios físicos. Um deles é o fato de terem que pagar um valor mensal relativamente alto. O outro é a dificuldade de se deslocar até as academias que, por sinal, a maioria não é preparada para receber esse público que precisa de atenção, infraestrutura física e de profissionais qualificados. Em relação aos materiais usados nas aulas, eles são importantes para garantir os resultados, mas eu não queria que fosse preciso comprar para não ser mais um empecilho. Foi então que pensei em utilizar o que as pessoas já têm em casa, como o cabo da vassoura para substituir a barra, os alimentos para substituir os halteres (pesos), objetos como obstáculos para trabalhar os deslocamentos, a toalha no lugar do elástico para ser usado nos alongamentos e o edredom no lugar do colchonete. Até fita crepe eu uso no último mês para construir uma escada que melhora a agilidade.

Eu descobri recentemente que isso é muito mais do que um trabalho para mim. Eu descobri que essa é a minha missão de vida. Cada pessoa tem a sua missão, a sua forma de contribuir para o mundo e para a sociedade. E a minha é melhorar a qualidade de vida das pessoas através do exercício físico (…)

Longevidade com Qualidade | Denize Terra

O logotipo do programa tem o símbolo do infinito e sobre ele Denize ressalta o seguinte: ” se a gente  reparar, é o símbolo do infinito no formato de coração que simboliza a vida com cores alegres. Porque o que quero transmitir com a marca é que a vida pode ser longa, alegre e feliz e com infinitas  possibilidades”. 

Você informa que “todas as aulas do programa foram desenvolvidas seguindo as recomendações do Colégio Americano de Medicina do Esporte para pessoas acima de 60 anos. As aulas duram em torno de 50 minutos e ele poderá fazer de qualquer lugar, mesmo quando estiver viajando”. Fale mais sobre isso.

Como o programa é on-line, todas as aulas podem ser assistidas pelo celular, tablet ou computador a qualquer hora e em qualquer lugar. As pessoas não precisam se preocupar se vão conseguir entrar no programa porque é muito fácil de acessar, mesmo para quem não tem intimidade com o computador. Além disso, tem um vídeo no programa ensinando como assistir às aulas. Cada aula trabalha todas as capacidades físicas necessárias para garantir a independência física, começando sempre com um aquecimento para preparar o corpo e os músculos para o exercício. Depois, fazemos exercícios de equilíbrio, mobilidade, fortalecimento muscular, aeróbios (para melhorar seu condicionamento) e, por último, os alongamentos para ajudar na recuperação da musculatura e no relaxamento.

A gente já sabe que os exercícios físicos melhoram o tônus muscular, gostaria que você contasse de que forma eles também podem ajudar em outros aspectos citados como controle da pressão arterial, das taxas da diabete e do colesterol. 

Tenho muita segurança em informar sobre os benefícios do exercício físico para o controle da pressão arterial, em particular, por causa dos resultados da minha pesquisa de mestrado.  Na época, a musculação era contraindicada para pessoas com pressão alta porque acreditava-se que a pressão subia durante o exercício e isso poderia ser perigoso, ainda mais em se tratando de idosos. No entanto, os resultados mostraram que a pressão arterial diminui em até 24h após o exercício e, após os três meses de musculação, a pressão de repouso estava mais baixa do que quando comparada ao início do programa. Algumas alunas inclusive, sob recomendação médica, pararam de tomar remédios para a pressão. Eu publiquei os resultados dessa pesquisa numa revista científica internacional e, até hoje, já foram mais de 1.500 visualizações desse artigo. Da mesma forma que acontece com a pressão arterial, o exercício também controla a diabete, o colesterol e até mesmo a osteoporose. Atualmente, os exercícios têm sido utilizados como parte do tratamento para o controle dessas doenças.

Gostaria que você falasse um pouco mais sobre os bônus oferecidos pelo “Programa Longevidade com Qualidade”

Eu realmente acredito muito no poder dos exercícios físicos para melhorar a qualidade de vida das pessoas. No entanto, eu também entendo que existem outros aspectos que são necessários para que as pessoas tenham qualidade de vida e sejam felizes. Esses aspectos, além dos físicos, são os emocionais, mentais e sociais.

Por isso, eu busquei parcerias que ajudassem as pessoas nesses outros aspectos. São eles:

Físicos

Três Bônus de Nutrição com a nutricionista Danielle Castellani + Vídeo-Aula com dicas especiais sobre alimentação que incluem: 

  • As três chaves para a mudança de hábitos alimentares;
  • Um e-book para eliminar os hábitos prejudiciais inclusive, os alimentares, e ter uma vida mais saudável;
  • Um e-book com receitas deliciosas para suprir as necessidades nutricionais das pessoas acima de 60 anos, retardar o envelhecimento e  emagrecer;
  •  Aula em Dupla: uma aula divertida para ser feita com o cônjuge, filho ou amigo.Avaliação Física: são testes rápidos e fáceis, feitos ao longo do programa, para acompanhar a evolução e ver os resultados no final.

Emocionais

Através das parcerias com o consultor de longevidade Leandro Cerri e o coach Daniel Queiroz:

  •  Bônus com o coach Daniel Queiroz para ajudá-lo a vencer os desafios da sua vida e ser mais feliz;
  • Dicas preciosas com o consultor em longevidade Leandro Cerri sobre como conquistar um envelhecimento saudável;

Sociais

Através da participação dos alunos nos grupos de WhatsApp e Facebook;

Mentais

Por meio da parceria com o Supera on-line para turbinar a sua memória, atenção, linguagem, raciocínio lógico e visão espacial, prevenindo, assim, as doenças mentais.

Todos esses bônus são gratuitos para os alunos do programa.

Tenho muita segurança em informar sobre os benefícios do exercício físico para o controle da pressão arterial, em particular, por causa dos resultados da minha pesquisa de mestrado.  Na época, a musculação era contraindicada para pessoas com pressão alta porque acreditava-se que a pressão subia durante o exercício e isso poderia ser perigoso, ainda mais em se tratando de idosos. No entanto, os resultados mostraram que a pressão arterial diminui em até 24h após o exercício e, após os três meses de musculação, a pressão de repouso estava mais baixa do que quando comparada ao início do programa(…)

Para terminar a Denize deixa um recado para você: Esse programa que desenvolvi é a realização de um sonho e uma forma de  ajudar as pessoas a aproveitarem a vida com independência física, qualidade de vida e liberdade! Além disso, é a forma que descobri para que as mudanças de cidade não atrapalhassem minha vida profissional. Sou muito grata a Deus pela minha vida, pela minha família _ minha mãe, irmãs, sobrinhos, etc. _ pela família do Rodrigo e a família que construímos: essa é a minha maior riqueza e orgulho!  Quero agradecer também ao meu mentor em marketing/empreendedorismo digital, Artur Monteiro, que me mostrou esse caminho e me devolveu a capacidade de sonhar; e ao Marco Lopes, profissional extremamente capacitado  que acreditou no meu sonho e ajudou a desenvolvê-lo. E claro, agradeço ao apoio incondicional do meu marido!

Para acompanhar o trabalho da Denize Terra, personal trainer de idosos há mais de 15 anos, mestre  em exercício, saúde e envelhecimento,  especialista em melhorar a qualidade de vida das pessoas que passaram dos 60 anos e  criadora do Programa Longevidade com Qualidade, acesse: 

www.longevidadecomqualidade.com.br

facebook.com.br/denizeterrapersonal

www.denizeterra.com.br

Este slideshow necessita de JavaScript.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *