A ‘Viagem de Meu Pai’ retrata relação de filha com pai nos primeiros sinais de Alzheimer

Posted by

Em clima que mescla comédia e drama, o longa propõe uma reflexão sobre o envelhecimento e as complexas relações familiares, além de abordar a gangorra emocional dos cuidadores e familiares que convivem com pacientes com Alzheimer

Redação Plena

Aos 80 anos, Claude Lherminier (Jean Rochefort) já não é mais o grande industrial de antigamente. Aposentado, ele sofre com a perda de memória, e não consegue viver sem a ajuda de enfermeiras. Mesmo assim, insiste em morar sozinho, afugentando todos que tentam ajudá-lo. A filha Carole (Sandrine Kiberlain) não quer colocá-lo num asilo, mas se preocupa com as manias e obsessões do pai. Em especial, Claude não para de falar na visita da outra filha, Alice, que não vem vê-lo há quase dez anos.

O filme francês A Viagem de Meu Pai”, dirigido por Philippe Le Guay e baseado numa peça de Florian Zeller, conta a história de um idoso que, diante dos primeiros sinais de Alzheimer, reage tornando a vida de sua filha (e de todos      que o rodeiam) uma confusão bem exaustiva. O longa é um misto de comédia e drama e traz uma visão emocionante sobre a doença.

Além de  propor uma reflexão sobre o envelhecimento e as complexas relações familiares, o filme aborda a gangorra emocional dos cuidadores e familiares que convivem com pacientes com Alzheimer.

O filme estreou no Brasil na última quinta-feira, 11.

Veja o trailer:

 

Deixe um comentário