Especialista fala dos benefícios que os animais de estimação trazem para a vida das pessoas +60

Posted by
 
Saiba quais são as raças de cachorros mais indicadas para o convívio com idosos

 

Redação Plena

 
Que gatos e cachorros fazem parte do dia a dia de muitas famílias e  conquistam um espaço especial na vida das pessoas não é uma novidade, pois eles são excelentes companheiros.
 
Hoje, estima-se que no mínimo 44% dos lares brasileiros possuem animais de estimação. A razão para o crescimento desse número se dá também pelo fato de que este convívio proporciona benefícios para a saúde física e mental do seu dono, principalmente para pessoas que estão na terceira idade.
 
A presença de um animalzinho no cotidiano do idosos ajuda a combater o isolamento e estimula a prática de atividades físicas que são realizadas ao passear ou brincar com o pet, além de estimular a interação social e a comunicação.
 
Segundo Luciene Vieira, Educadora Animal e Comportamentalista, proprietária do Pet Shop Uau Uau, o ideal é caminhar cerca de 40 minutos com o cachorro, e aproveitar a sensação de bem-estar que faz bem para o corpo e para mente, uma vez que o cérebro estará recebendo vários estímulos e melhorando as taxas de serotonina que ajudam no bom humor, apetite e sono.
 
Algumas pesquisas apontam que o convívio com animais de estimação diminui  níveis de ansiedade, proporciona calma e melhora o ânimo, além de ajudar na prevenção de doenças e aumentar a expectativa de vida. “O grande segredo está na escolha da raça, no temperamento do animal para harmonizar com a característica da família, do ambiente físico e resultar numa convivência saudável que estimula o afeto entre todos”, explica Luciene Vieira.
 
Para os idosos que querem adquirir um animal, a melhor opção são cachorros que exigem menos atividades físicas para o gasto de energia,  como brincadeiras  e passeios,  as raças mais indicadas são: Shih Tzu, Lhasa Apso, Buldogue Frances ou Inglês, Boxer, Poodle, Maltês, York, Spitz Alemão, Pequinês, Cocker, Daschund e Pug.
 
Já as menos recomendadas são: Border Collie, Labrador, Golden, Jack Russell, Dogue Alemão, Schnauzer, Pinscher e Dálmata. “Tudo depende do contexto, que deve ser muito bem analisado e ponderado para não causar nenhum tipo de experiência traumática”, aconselha a adestradora que também acompanha processos de adoções.
 
Outro exemplo que Luciene Vieira cita é referente ao Pastor Alemão ou "Cão Policial", que sempre foi usado pela Polícia Militar devido ao seu porte ameaçador e capacidade de aprender comandos de forma rápida, criando uma certa "lenda" em torno deles. “Algumas pessoas acreditam  que eles não são bons cães de companhia e na verdade são ótimos! São dóceis e amam crianças e animais menores”, conclui a especialista.
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *