Na época da grande premiação do cinema mundial, conheça um espaço dedicado a um dos maiores símbolos do cinema brasileiro

Quer fazer um passeio diferente? Que tal uma visita ao Museu Mazzaropi?

Museu Mazzaropi, em Taubaté (SP), resgata a vida e obra do cineasta e comediante Amácio Mazzaropi

O frenesi causado pela 89ª edição do Oscar, mais importante prêmio do cinema mundial, agita o universo dos amantes da sétima arte. Enquanto na Califórnia atores, diretores, roteiristas e profissionais ligados ao ramo são prestigiados, na cidade de Taubaté, no interior de São Paulo, o Museu Mazzaropi se propõe a manter viva a memória de um dos principais expoentes do cinema nacional.

Idealizado na década de 1990, o espaço reúne mais de 20 mil itens sobre a vida e a obra do cineasta e comediante, como fotos, documentos, filmes, objetos cênicos, móveis e equipamentos. Em 2000, foi criado o Instituto Mazzaropi cujo objetivo é preservar e divulgar a história e o trabalho do artista. A propriedade na qual está  o Museu também ajuda a contar a história de Mazzaropi, pois ali funcionavam os estúdios da Pam Filmes, produtora e distribuidora das obras de Amácio Mazzaropi.

Para além do ator, quem  foi Amácio Mazzaropi ?

Amácio Mazzaropi nasceu  na capital paulista em 1912 e começou a vida artística no teatro caipira aos 15 anos de idade, pintando cenários. Pouco depois, largou o pincel e seguiu como ator, assim como suas grandes inspirações da época: os atores Genésio e Sebastião de Arruda.

Ele fez turnês em circos, teatros e recitou monólogos dramáticos. Em 1946, assinou contrato na Rádio Tupi, onde ficou por 8 anos. Mazzaropi também passou pela TV Excelsior, onde participou de um programa de sucesso da época, apresentado por Bibi Ferreira, o Brasil 63.

Em 1950, estreou na TV Tupi de São Paulo, aos 38 anos de idade. Quatro meses depois, em 1951, foi ao Rio de Janeiro inaugurar o canal 6 também pela TV Tupi.

O primeiro filme em que atuou foi o ‘Sai da Frente’ (1952) .  Após realizar seu último longa-metragem pela Cinedistri _ ‘Chico Fumaça’ (1956) _ o cineasta abriu a própria produtora _ a PAM Filmes – Produções Amácio Mazzaropi _ e ali a primeira produção foi o filme ‘Chofer de Praça’ ( 1958) que inaugurou oficialmente  seu negócio.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Foram feitas mais 25 obras, praticamente uma por ano, até 1980. Todas com roteiros baseados no humor, aspecto  fundamental do trabalho do artista. Para ele, a função do cinema era divertir o público.

Para saber mais sobre o Museu Mazzaropi e sobre a carreira de Amácio Mazzaropi, visite o site www.museumazzaropi.org.br

Assista ao  filme ‘Fuzileiro do Amor’ de 1956: 

 Fonte AD Comunicação & Marketing

Deixe um comentário