Na época da grande premiação do cinema mundial, conheça um espaço dedicado a um dos maiores símbolos do cinema brasileiro

Quer fazer um passeio diferente? Que tal uma visita ao Museu Mazzaropi?

Museu Mazzaropi, em Taubaté (SP), resgata a vida e obra do cineasta e comediante Amácio Mazzaropi

O frenesi causado pela 89ª edição do Oscar, mais importante prêmio do cinema mundial, agita o universo dos amantes da sétima arte. Enquanto na Califórnia atores, diretores, roteiristas e profissionais ligados ao ramo são prestigiados, na cidade de Taubaté, no interior de São Paulo, o Museu Mazzaropi se propõe a manter viva a memória de um dos principais expoentes do cinema nacional.

Idealizado na década de 1990, o espaço reúne mais de 20 mil itens sobre a vida e a obra do cineasta e comediante, como fotos, documentos, filmes, objetos cênicos, móveis e equipamentos. Em 2000, foi criado o Instituto Mazzaropi cujo objetivo é preservar e divulgar a história e o trabalho do artista. A propriedade na qual está  o Museu também ajuda a contar a história de Mazzaropi, pois ali funcionavam os estúdios da Pam Filmes, produtora e distribuidora das obras de Amácio Mazzaropi.

Para além do ator, quem  foi Amácio Mazzaropi ?

Amácio Mazzaropi nasceu  na capital paulista em 1912 e começou a vida artística no teatro caipira aos 15 anos de idade, pintando cenários. Pouco depois, largou o pincel e seguiu como ator, assim como suas grandes inspirações da época: os atores Genésio e Sebastião de Arruda.

Ele fez turnês em circos, teatros e recitou monólogos dramáticos. Em 1946, assinou contrato na Rádio Tupi, onde ficou por 8 anos. Mazzaropi também passou pela TV Excelsior, onde participou de um programa de sucesso da época, apresentado por Bibi Ferreira, o Brasil 63.

Em 1950, estreou na TV Tupi de São Paulo, aos 38 anos de idade. Quatro meses depois, em 1951, foi ao Rio de Janeiro inaugurar o canal 6 também pela TV Tupi.

O primeiro filme em que atuou foi o ‘Sai da Frente’ (1952) .  Após realizar seu último longa-metragem pela Cinedistri _ ‘Chico Fumaça’ (1956) _ o cineasta abriu a própria produtora _ a PAM Filmes – Produções Amácio Mazzaropi _ e ali a primeira produção foi o filme ‘Chofer de Praça’ ( 1958) que inaugurou oficialmente  seu negócio.

Foram feitas mais 25 obras, praticamente uma por ano, até 1980. Todas com roteiros baseados no humor, aspecto  fundamental do trabalho do artista. Para ele, a função do cinema era divertir o público.

Para saber mais sobre o Museu Mazzaropi e sobre a carreira de Amácio Mazzaropi, visite o site www.museumazzaropi.org.br

Assista ao  filme ‘Fuzileiro do Amor’ de 1956: 

 Fonte AD Comunicação & Marketing

Deixe um comentário