Atleta amador de 73 anos finaliza em 2018 projeto “Linha do Equador Virtual”

Projeto virou plataforma de incentivo à qualidade de vida e inspira pessoas a mudar hábitos e praticar o esporte.

Dar a volta ao mundo correndo! Um projeto que começou timidamente em outubro de 1979, com o objetivo de evitar os stress, e conquistou grandes proporções. Este é o “Linha do Equador Virtual”, criado pelo atleta amador, corredor de ruas de 73 anos, Afonso Cappai de Castro. O atleta tem como meta correr a distância equivalente a uma volta ao mundo pela Linha do Equador, totalizando 40.075 quilômetros – a maior circunferência em torno da terra.

Apaixonado por corridas, Afonso já percorreu 38.075 quilômetros ao longo destes 38 anos de projeto. “É como se eu tivesse partido do Macapá em outubro de 1979 em direção ao Oceano Pacífico, contornado o mundo e hoje estaria ‘correndo’ em pleno Oceano Atlântico, em direção ao Macapá”, explica Cappai. O atleta pretende concluir os dois mil quilômetros restantes em 2018, sendo que os últimos 21 serão percorridos na cidade do Macapá, no dia 15 de novembro do próximo ano, e finalizados no marco zero da Linha do Equador.

Afonso corre cerca de duas horas três vezes na semana e os resultados são computados via GPS diretamente em seu site, para que o público possa acompanhar suas performances e sua evolução em tempo real. “Já corri em todas as capitais e em mais de 160 cidades do Brasil. Em 2019, pretendo seguir com o projeto para os países da América do Sul. Quando pensei no LEV, nas primeiras vezes, a ideia era que eu o terminasse em 2023. Mas, com foco na meta, disciplina e determinação, estou conseguindo reduzir o tempo de conclusão significativamente”, revela.

 

QUALIDADE DE VIDA

Apaixonado por corridas, Afonso começou a praticar o exercício de forma tímida em 1975, aos 35 anos. “Trabalhava muito, fazia faculdade e meu nível de stress estava muito alto. Comecei porque precisava ter uma atividade física e me apaixonei pela prática. Já corri em todo tipo de lugar, desde lugares maravilhosos, como em locais inapropriados. Já corri na chuva, no frio, de dia no sol e à noite. Já torci o pé, tropecei e caí, já tive vontade de desistir, mas sempre segui em frente, acumulando os meus quilômetros na ‘Linha do Equador Virtual’”, explica.

Inicialmente um projeto pessoal, o LEV se tornou uma plataforma de incentivo para que outras pessoas também pratiquem a corrida. E, apesar de ter um tempo de maturação entre 15 e 40 anos, Afonso já conquistou adeptos para sua ideia. Atualmente sua página nas redes sociais possui mais de 20 mil seguidores. “É um projeto de longo prazo, mas que busca incentivar os atletas amadores a percorrerem esta distância de forma virtual, onde estiverem”, conta Cappai.

Afonso, que tem acompanhamento de um personal trainer e um nutricionista, revela em seu site e redes sociais toda a sua experiência dos 38 anos de corrida com técnicas, dicas, metodologias e outros conhecimentos. “O Linha do Equador Virtual é um plano de qualidade de vida que busca comprovar que, com a prática de exercícios físicos continuados, as pessoas podem viver com mais qualidade e alongar sua expectativa”, finaliza Cappai.

SOBRE AFONSO CAPPAI

Afonso é consultor, escritor, palestrante e trabalha viajando. Possui dois livros publicados: “Os Sonhos valem a pena” e o recém-lançado “Paixão Por Correr”, que relata toda a sua história na corrida de rua. Criou o projeto Linha do Equador Virtual – LEV, que tem como objetivo incentivar os atletas a correrem a distância da linha do Equador (40.075 Km) virtualmente.

SERVIÇO

LEV – Linha do Equador Virtual
Site que incentiva atletas amadores a percorrerem o equivalente à distância da linha do Equador.
Informações: http://linhadoequadorvirtual.com.br/

Fonte: Érika Costa| Doizum Comunicações/ Foto: Roberto Benatti

Deixe um comentário