“Incluir exercício físico na rotina se equivale a somar anos a sua vida, mesmo que você comece depois dos 60”, diz o preparador físico Marcio Atalla

Posted by
Em entrevista ao Portal Plena, o apresentador do Medida Certa, quadro do Fantástico, fala sobre a ineficiência das dietas restritivas, afirma que atividade física diminui a incidência de doenças e distúrbios mentais e ensina como tornar o exercício um hábito

 

Por Mariana Parizotto

 
 
A segunda-feira é o dia oficial da dieta, não é mesmo? É no início da semana que muita gente decide cortar os alimentos calóricos, começar um exercício físico e mudar completamente o estilo de vida. Mas são poucos os que conseguem chegar até a outra segunda empenhados na missão “qualidade de vida”. E por que isso acontece? Conversamos com o preparador físico Marcio Atalla, um dos maiores especialistas no assunto no Brasil, para responder esta e diversas outras questões sobre perda de peso e a importância de movimentar o corpo, principalmente depois dos 60 anos.
 
Confira:
 
Por que é tão difícil mudar a alimentação?
O que falta, muitas vezes, é saber conciliar vontade com bom senso. Para emagrecer, por exemplo, muitos indivíduos focam em dietas restritivas, que garantem resultado rápido. Porém, de acordo com o estudo publicado no jornal da Sociedade Americana de Psicologia1, nove em cada dez pessoas que iniciam um regime desse perfil fracassam, sendo que sete acabam com um peso maior do que quando começaram. Quando você inicia uma dieta com a exclusão de vários ingredientes, a resposta é muito rápida, mas depois de um curto período, o resultado passa a ser mais lento já que o corpo se adapta a essa alimentação restritiva. Além disso, em determinado momento, o organismo sente a ausência dos nutrientes excluídos e falta energia, fazendo com que a pessoa volte a consumir como antes. Por isso que uma alimentação equilibrada com a prática de exercícios físicos garante resultados mais eficazes e duradouros.
 
De acordo com a pesquisa VIGITEL 2014, do Ministério da Saúde, 48% dos brasileiros são sedentários. Há algum dado que demonstre quanto dessa parcela tem mais de 60 anos?
Não existe esse dado, mas sabemos que a maior parcela de pessoas ativas, são as mais jovens, o que nos induz a pensar que esse percentual é muito maior se considerarmos apenas as pessoas acima de 60 anos. Aliás, a população acima de 60 anos precisa fazer atividade física regular pela saúde e por uma questão de manter autonomia. Vale lembrar que a recomendação da OMS é de 150 minutos de atividade física na semana, divididos preferencialmente em cinco dias, mas menos de 10% dos brasileiros possuem essa prática.
 
Então, podemos dizer que o sedentarismo é raiz de muitos problemas de saúde que acometem a população brasileira?
O sedentarismo está muito relacionado com o aparecimento de doenças, como a pressão alta, a diabetes e a obesidade. O cenário é bem preocupante. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), mais de três milhões de mortes por ano no mundo podem ser atribuídas à falta de atividade física. Além disso, a inatividade é o quarto maior fator de risco de mortalidade global. O exercício tem impacto hormonal, evita problemas cardíacos, assim como a obesidade e o aumento de peso, além de contribuir com o funcionamento do metabolismo e o movimento das articulações.
 
Sair do sedentarismo já na terceira idade pode trazer benefícios? Quais são eles?
Com certeza! Em qualquer idade, se manter ativo traz diversas melhorias para o corpo. Quando a pessoa começa a fazer exercícios, o corpo fica mais resistente e a imunidade aumenta, além de fortalecer a musculatura. Algumas pesquisas mostram que os exercícios ajudam na redução de 25% nos casos de doenças cardiovasculares e 10% nos casos de acidente vascular cerebral, doença respiratória crônica e distúrbios mentais. Ainda de acordo com o estudo, a prática reduz de 30% para 10% o número de indivíduos incapazes de cuidar de si mesmos. O importante para que os benefícios aparecem e sejam duradouros é a regularidade e a criação do hábito.
 
É possível dizer que a prática de exercícios aumenta os anos de vida?
A movimentação ajuda o corpo a ser mais saudável e aumenta a imunidade dos praticantes, assim, é possível afirmar que ele está relacionado a uma vida duradoura. Os exercícios ajudam na redução de doenças e aumenta a capacidade dos indivíduos de cuidar de si próprio. As pessoas que praticam exercícios vivem mais, pois ajuda no controle de doenças e na manutenção de níveis bons de colesterol, de pressão arterial e de glicemia. Existem diversos estudos que falam desta relação entre anos de vida e atividade física. De acordo com um artigo publicado na Revista Brasileira da Ciência do Movimento, alguns autores reportam incremento de até 2,5 anos na expectativa de vida em função de participação em um programa de exercício físico regular.
 
Para os idosos que querem começar a caminhar, quais dicas você pode dar de alimentação e treino?
Pra começar a caminhar, basta ter regularidade e iniciar aos poucos. Para isso, fazer uma pequena programação, saber o horário que vai fazer a atividade, com quem e qual a atividade, ajuda muito! Comece com caminhadas diárias de 20 a 30 minutos, respeitando seu limite. Não pense em intensidade nesse início. Na alimentação é comer de tudo sem exageros, não culpe um alimento ou eleja um alimento santo. Não abra mão do prazer, mas procure ter 60 a 70% da alimentação de produtos in natura, como legumes, frutas, cereais, carne, leite e etc. Tendo a base da alimentação boa, mantendo a regularidade na atividade física, poderá comer sem exageros os alimentos que você tanto gosta.
 
Quais outros exercícios são indicados para a terceira idade?
Hidroginástica, yoga e bicicleta são bons exemplos. O ideal é que o exercício seja de baixo impacto e que sua duração e dificuldade sejam definidas pelo participante e adaptadas de acordo com as necessidades individuais. Dessa maneira, o risco de lesões é menor.
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *