“Adote um avô”: um projeto criativo que combate a solidão dos idosos

Um idoso sem filhos e netos deu o mote para que Alberto Cabanes criasse, na Espanha, um projeto promissor. Mais de 100 idosos já foram adotados. Quem sabe esta ‘moda’ não pega por aqui?

Goreti Pera

A ideia surgiu no Natal de 2013. Foi durante uma visita ao avô, num lar de idosos, que Alberto Cabanes conheceu um idoso especial. Bernardo não tinha filhos e o seu desejo natalício era “ter netos”. “Eu adoto-te”, respondeu Alberto, comovido.

Foi assim que surgiu a iniciativa “Adote um avô”, que pretende juntar os velhos aos jovens e combater a solidão que assola a terceira idade.

Adotantes e ‘adotadas’.

Desde então, juntaram-se 204 voluntários e contam-se 102 idosos adotados. A iniciativa criada em Madrid estendeu-se a várias cidades espanholas e há até uma página no Twitter onde são partilhadas imagens de alguns bons momentos.

“Tive a sorte de ser criado pelos meus avós e de aprender com eles valores impagáveis. Ninguém merece estar só. E nos lares há muita solidão”, explicou Alberto ao El Mundo, orgulhoso dos benefícios para os seniores: depois da adoção, ficam menos ansiosos e deprimidos, com mais autoestima e mais felizes.

Assista aqui à matéria feita por uma rede de TV espanhola sobre o projeto.

Deixe um comentário