Cresce a fatia de inadimplentes com mais de 61 anos, revela Serasa Experian

Posted by
Especialistas dão dicas para garantir tranquilidade financeira e emocional do aposentado

 

Redação Plena

 
Estudo da Serasa Experian sobre a inadimplência por idade revela que a fatia de inadimplentes acima dos 61 anos apresentou o maior crescimento em maio de 2015 em relação a maio de 2014, subindo de 11,8% para 12,2%. 
 
Segundo os economistas da Serasa Experian, o crescimento do volume de crédito consignado concedido de 2014 para 2015 é um dos fatores que impulsionaram o aumento da fatia de inadimplentes com 61 anos ou mais. Como este tipo de crédito oferece menos risco ao banco, há mais facilidade de concessão com relação a outras linhas de crédito. Por isso, em momentos de alta da inflação e aumento do desemprego, muitas famílias recorrem a empréstimos como este.
 
 
Os especialistas da Serasa prepararam uma sequência de dicas e alertas tanto para aposentados como para aqueles que ainda estão em atividade, mas já pensam no futuro. Veja abaixo:
 
 
1. Não se contente com menos – Sempre ouvimos que a vida de aposentado não é fácil, quando o assunto é privações de consumo. Mas esse rótulo traz certo conformismo, que deve ser colocado de lado: conseguir estabilidade financeira com qualidade de vida é possível e depende mais de você do que você imagina.
 
2. Não dependa apenas do INSS – Com a tendência de aumento da expectativa de vida do brasileiro e outros problemas relacionados ao cenário econômico do país, fica mais arriscado contar apenas com a previdência social para manter uma aposentadoria tranquila e independente.
 
3. Pague o INSS mesmo quando estiver sem trabalho ou na informalidade – Não deixe “buracos” na sua contribuição. O tempo sem pagar retarda a conquista de sua aposentadoria formal. 
 
4. Poupar é possível – Guardar dinheiro não está necessariamente relacionado com sobras no orçamento e sim com um projeto maior – como a aposentadoria – que nos obriga a cortar gastos para conseguir os recursos mensais voltados ao investimento. Cada orçamento – por menor que seja – tem gorduras que podem ser cortadas: gastos com automóveis, roupas, sapatos, eletrônicos, tratamentos de beleza, terceirização de serviços domésticos, alimentação, etc. Em algum ponto você vai descobrir que dá para fazer cortes em prol de uma aposentadoria tranquila.
 
5. Comece a poupar o quanto antes – Pode parecer uma receita batida, mas poupar desde os primeiro anos da vida produtiva é o caminho mais saudável e menos acidentado para conquistar liberdade financeira na fase madura. E também garante aposentadoria precoce, com mais tempo para curtir a vida. O jovem trabalhador deve poupar 10% do que ganha. Ao longo da vida produtiva esse valor pode chegar a 20%. 
 
6. Entre 80 e 100% de renda sobre o último salário – Quanto mais próximo o valor da aposentadoria do último salário recebido durante a fase produtiva, menos cortes e revisões de despesas serão necessários para manter o mesmo padrão de vida. Portanto, os cálculos para planejar quando e como se aposentar devem considerar essa estimativa.
 
7. Nunca é cedo, mas também nunca é tarde – Sem dúvida, quanto mais cedo o planejamento financeiro envolver uma poupança para o futuro mais fácil será economizar e maior a renda para a aposentadoria. Mas o fato de não ter começado cedo não extingui planos de proventos extras. Para isso será necessário economizar mais e por mais tempo, o que pode implicar em manter uma atividade profissional mesmo depois de ter obtido a aposentadoria formal.
 
8. Busque algo motivador para seguir trabalhando – Um sonho profissional que ficou para traz pode ser resgatado nesta etapa da vida para motivar quem precisa adiar a aposentadoria. Iniciar uma segunda carreira ou empreender deve estar nos planos de pessoas acima dos 45 anos e que precisam complementar a renda para o futuro. Há também pessoas que amam o que fazem. Nesse caso, se as condições são favoráveis, por que parar? O importante é saber que, nesta fase da vida, sua vontade deve suplantar as inúmeras demandas sociais e familiares. É você no comando. 
 
9. Calcular as despesas que a aposentadoria deve contemplar – Além dos custos fixos com moradia, alimentação, água, luz, gás, despesas médicas e impostos, devem estar contemplados na renda da aposentadoria gastos com lazer e com demais atividades que promovam qualidade de vida, como um curso de artes ou de idiomas, dependendo do interesse de cada um. 
 
10. Mais gastos com saúde – Quem segue com o plano de saúde coletivo da empresa depois de se aposentar deve estar preparado para pagar o valor integral, pois os subsídios oferecidos pela empresa são retirados, encarecendo a mensalidade. Além disso, a tendência é que pessoas com mais idade consumam mais medicamentos continuamente. Ambas as situações requerem um planejamento prévio.
 
11. Caixa para eventos inesperados – Uma vez aposentado, é ideal que se mantenha um dinheiro separado para eventualidades que não estejam previstas no orçamento mensal. E nem sempre as eventualidades traduzem despesas derivadas de episódios tristes. Um convite para uma viagem de última hora ou a troca de um carro também podem encontrar recursos no caixa voltado aos eventos inesperados.
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *