Mesmo custando até R$ 10 mil / mês, flats têm atraído idosos que querem morar sozinhos

Posted by

Os flats têm se mostrado uma opção de moradia para a turma da terceira idade e pessoas com necessidades especiais. Em São Paulo, há em torno de 30 mil apartamentos no conceito flat. A maior concentração ainda está em bairros como Jardins, Berrini e Moema

Redação Plena

Com 1.500 mil visitas de prospecção por ano, o Residencial Santa Catarina, que oferece sistema de flat no bairro do Paraíso, recebe, em sua maioria, idosos que procuram independência e estabilidade. "Nos últimos dois anos, o volume de interessados cresce cerca de 10% ao ano. A tendência é que com a longevidade, os idosos e as famílias busquem esses espaços, também devido ao aumento da sociabilidade", diz Maria Norma A. Claure, diretora executiva do residencial.

A localização, as instalações adequadas e as atividades de lazer são os principais atrativos do local. "Temos unidades individuais de 38 m² e 42 m² de área privativa. Apesar do tamanho, há adaptações internas que aumentam o conforto dos moradores da terceira idade", afirma a diretora.

Dos 94 moradores, 85% são mulheres, com faixa etária predominante de 80 anos, e diferentes níveis de independência. O custo mensal é a partir de R$ 10 mil por mês, e inclui cinco refeições, acesso às áreas de lazer, além de equipe de enfermagem 24h.

Já no Flat Plaza 50, no bairro dos Jardins, os idosos representam aproximadamente 40% da demanda, anualmente. O local recebe mulheres e homens e de diferentes faixas etárias. "Em 2014, constatamos um aquecimento na procura. Em fevereiro e março, ficamos em 100% de lotação", diz Maria José, gestora dos Flats da Liga Solidária (administradora do local).

No Plaza 50, há 66 apartamentos, de 56 m². "Nosso público não é necessariamente da terceira idade, mas os recebemos e eles têm um perfil mais independente", reforça Maria José. O custo médio é de R$ 4.000 e inclui camareiras, recepção, segurança e internet.

 

Deixe um comentário