Procura por home care cresce 5% ao ano. Faturamento do setor ultrapassa R$ 10 bi

Posted by
Famílias necessitam cada vez mais de assistentes domiciliares para cuidarem de seus idosos

 

Redação Plena

 
Utilizar os serviços de home care está se tornando prática cada vez mais comum no Brasil. O tratamento domiciliar para pacientes que recebem alta do hospital, mas precisam estar sob cuidados médicos em casa, cresce de 3% a 5% ao ano em todo o País.
 
De acordo com o levantamento realizado pelo Nead (Núcleo Nacional das Empresas de Serviços de Atenção Domiciliar), o número de empresas que oferecem esse serviço foi de 108, em 2005, para 400, em 2013. O estudo ainda aponta que o faturamento do setor atualmente ultrapassa os R$ 10 bilhões.
 
Segundo Hercília Marques, sócia da HM Homecare, que atua em São Paulo, Atibaia e região, o envelhecimento da população e a demanda por cuidadores têm aumentando de forma contínua a procura por assistentes domiciliares: "Quando iniciamos as atividades no setor, já sabíamos que era uma área promissora, porém, o trabalho é árduo e quem pretende ingressar nesse mercado precisa ter muita paixão pelo que faz", afirma.
 
Ainda de acordo com dados do IBGE, a população de pessoas com mais de 60 anos de idade, no Brasil, já ultrapassava a marca de 23,5 milhões, em 2011. Apesar da crise econômica atual, o setor de serviços continua crescendo, segundo dados da Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada recentemente. A categoria dos serviços prestados às famílias foi sinalizada pelo estudo como a terceira que mais cresceu.
 
Com o crescimento da demanda pelo serviço de cuidadores e de home care, muitas empresas estão surgindo. Segundo Hercília, a família deve buscar um serviço de confiança, que desenvolva um cuidado humanizado e com equipe multidisciplinares de profissionais que podem auxiliar desde pessoas com mobilidade reduzida, com quadros menos graves, mas que necessitam de assistência, até quadros mais complexos, que necessitam de cuidados médicos, de enfermagem, nutricionistas e fisioterapeutas.
 

Deixe um comentário