Tributo a B. B. King: “Ser um cantor de blues é como ser negro duas vezes”

Posted by
Lenda do blues morre aos 89 anos e deixa legado icônico

 

Redação Plena

 
Morreu, aos 89 anos, o guitarrista, cantor e compositor B.B. King, considerado o Rei do Blues.
 
O músico sofria de diabetes e chegou a ser hospitalizado por duas vezes. A causa da morte não foi revelada. 
 
Ao lado de nomes como Eric Clapton e Jimi Hendrix, King era um dos melhores guitarristas do mundo segundo a revista norte-americana Rolling Stone.
 
Nascido em 16 de setembro de 1925, no Mississippi (EUA), Riley Ben King foi responsável por definir o som eletrificado do gênero no pós-guerra. Ele também se tornou o nome mais conhecido do blues mundialmente e o responsável por levar o estilo das áreas rurais dos Estados Unidos para a indústria musical mundial.
 
"Ser um cantor de blues é como ser negro duas vezes", escreveu King em sua autobiografia, "Blues All Around Me", sobre a falta de respeito ao estilo musical em comparação ao rock e jazz. 
 
Desde que começou a gravar, na década de 1940, foram mais de 50 álbuns, muitos deles considerados clássicos. Contabilizando15 prêmios Grammy, o músico ficou conhecido por sucessos como "Three O'Clock Blues", dos anos 1950, "The Thrill Is Gone", de 1970, "When Love Comes to Town", que gravou em 1989 com os irlandeses do U2. 
 
Veja essa apresentação icônica de B. B. King, que define um pouco o seu legado musical:

 
* Com informações de agências internacionais
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *