Acupuntura reduz sintomas da depressão, doença que atinge um em cada dez brasileiros

Posted by
A técnica age no sistema nervoso e pode estimular os hormônios da alegria, da dor e do sono

 

Redação Plena

A rotina nos dias atuais causa alguns problemas de saúde ou distúrbios emocionais, problemas referentes a qualidade de vida. No Brasil, uma em cada dez pessoas sofre de depressão, segundo a Organização Mundial da Saúde. Ainda de acordo com a organização, estima-se que em 2020, a depressão passe a ser a segunda maior causa de incapacidade e perda de qualidade de vida.
 
Na terceira idade, o número de depressivos também é alto: 15% da população idosa apresenta os sintomas clínicos da doença. 
 
Tais transtornos começam muitas vezes com choro constante, tristeza profunda, baixa autoestima e pessimismo em relação a vida. A perda pelo prazer de viver e de realizar as atividades cotidianas geram dificuldade de convívio nos ambientes sociais e até insônia. Porém, a acupuntura pode estimular os hormônios da alegria, da dor e do sono, de acordo com a idade e sexo do paciente. Isto pode auxiliar no tratamento da depressão.
 
A acupuntura, além de visar o equilíbrio, pode ajudar a solucionar diversos problemas de saúde e emocionais. Segundo a Dra. Aparecida Enomoto, especialista em acupuntura, a técnica é uma ótima forma de relaxar, pois dispersa a ansiedade e as tensões, equilibrando o Yin e Yang. O aumento dos hormônios da alegria e do bem estar auxilia no tratamento do doente, já que a técnica da acupuntura está no Sistema Nervoso Central.
 
Cada sessão de acupuntura para casos de depressão dura cerca de 30 minutos e é recomendada uma por semana durante três meses, após avaliação do profissional acupunturista. Após este período é feita reavaliação. O processo tem se mostrado eficiente para tratar desde distúrbios como insônia, ansiedade, falta de libido, dores, como doenças mais complexas como síndrome do pânico, mal de Alzheimer, entre outras.
 

Deixe um comentário