Como ter um sorriso bonito em todas as idades

Posted by
Especialistas da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas dão dicas para ter uma boca saudável na terceira idade e evitar problemas como a síndrome da “boca seca”

 

Redação Plena

 
Se existe algo que nos remete ao Dia Internacional das Mulheres, comemorado em 8 de março, é o sorriso de quem conquistou muita coisa ao longo dos anos e ainda continua em busca de seus ideais. Por isso, vários especialistas da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas (APCD) reuniram dicas úteis para mulheres maduras terem uma boca saudável.
 
Na opinião da odontopediatra Sandra Kalil Bussadori, é importante que a mulher cuide dos dentes em todas as fases da vida, optando por tratamentos preventivos antes mesmo de engravidar. 
 
Mulheres adultas são as principais vítimas do bruxismo, que é o ranger e apertar dos dentes durante o sono. De acordo com a cirurgiã-dentista Katia Regina Izola, o problema pode ser diagnosticado também em crianças e adolescentes, preocupando bastante – já que às vezes rangem tanto os dentes que chegam a comprometer a dentina. Em determinadas situações, o dano é irreparável e a pessoa desenvolve alta sensibilidade para alimentos e bebidas quentes ou frias. Mas são as mulheres adultas, que geralmente têm jornadas duplas ou até mesmo triplas, que mais sofrem com o problema.  Dor no maxilar, dor generalizada na face, dor de cabeça, dor de ouvido, perturbações no sono, tensão e rigidez nos ombros são sintomas comuns de quem sofre de bruxismo.
 
"Em casos graves, a paciente pode apresentar estalos ao mexer a boca, seja para falar ou para se alimentar. Além de um tratamento ortodôntico convencional, que impedirá o contato dos dentes superiores com os inferiores durante o sono, pode ser necessário fazer uso de anti-inflamatórios e ansiolíticos prescritos por determinado período. Outra alternativa terapêutica é o uso de laser de baixa potência.  As aplicações devem ser iniciadas com doses mais altas, em cinco sessões semanais. Com a melhora do caso, a dose pode ser diminuída e as sessões reduzidas a duas ou três vezes por semana. A resposta da paciente deverá ser observada a cada aplicação, checando a necessidade de alteração da dose. Em geral, os resultados aparecem com seis sessões iniciais", afirma Katia.
 
Já na mulher da terceira idade, o principal problema depois dos 60 anos é a "síndrome da boca seca". Afinal, nessa idade a pessoa tem metade da saliva de um jovem. A boca fica seca e desconfortável, dificultando principalmente a deglutição e diminuindo a resistência bucal. Quando não diagnosticada e tratada a tempo, essa condição pode resultar, inclusive, na perda dos dentes. De acordo com Artur Cerri, a síndrome da boca seca pode ser fisiológica ou indicar algumas doenças sistêmicas, acelerando o aparecimento de cáries, infecções bucais e, principalmente, gengivite – além de comprometer não só os dentes do idoso, como também sua saúde em geral, já que, com o tempo, ele passa naturalmente a comer menos e ingerir apenas alimentos macios ou líquidos.
 
"Trata-se de um ciclo vicioso que precisa ser interrompido. Ao controlar a síndrome da boca seca, que atinge mais mulheres do que homens, conseguimos manter a saúde oral do paciente, evitando inflamações e infecções que comprometem a saúde e a qualidade de vida de modo geral", diz Cerri. Sendo assim, o especialista diz que na presença de mau hálito, língua avermelhada ou áspera, sensação ruim na garganta, sede frequente, sensação pegajosa na língua ou mesmo ardência, dificuldade ao falar, feridas nos cantos da boca, fissuras nos lábios e rouquidão, o ideal é procurar um cirurgião-dentista para diagnosticar e tratar a doença.
 
"É importante que as mulheres escovem os dentes e façam enxágues diversas vezes ao dia, além de ingerir bastante líquido diariamente e adotar uma alimentação rica em alimentos com alto teor de água. De modo geral, a pessoa idosa também deve cortar o alimento em pedaços pequenos, acrescentando, por exemplo, uma boa fatia de melancia, abacaxi, ou melão ao prato principal. Essa rotina controla os efeitos da boca seca durante as refeições e evita que a pessoa passe a comer menos e a ficar com a musculatura oral enfraquecida", recomenda o especialista.
 
 
 
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *