Fumar pode levar à catarata na terceira idade, indica pesquisa

Posted by
Em comparação com quem não fuma, os fumantes apresentam um risco duas vezes maior de catarata e de duas a três vezes maior de desenvolver a degeneração macular relacionada à idade

 

Redação Plena

 
O tabagismo é um fator de risco conhecido para uma ampla gama de doenças. Agora, pesquisadores chineses encontraram fortes evidências de que fumar também pode aumentar o risco de catarata relacionada à idade, principal causa de cegueira reversível e perda de visão no mundo. Os resultados da pesquisa estão reunidos numa metanálise, publicada no Investigative Ophthalmology & Visual Science.
 
A equipe de pesquisadores chineses analisou dados de pacientes da África, da Ásia, da Austrália, da Europa e da América do Norte para comparar a prevalência de catarata relacionada à idade em indivíduos que fumavam e entre aqueles que nunca fumaram. Em seguida, fizeram a análise de subgrupos, buscando identificar fumantes atuais e ex-fumantes, bem como pacientes com os três subtipos de catarata relacionada à idade: nuclear, subcapsular e cortical.
 
Os resultados mostraram que todos os indivíduos que fumaram apresentavam um risco maior de catarata relacionada à idade. Um maior risco de incidência da doença estava associada aos fumantes atuais. Na análise dos subgrupos, os ex-fumantes e os fumantes atuais apareceram associados a dois dos subtipos da doença: a catarata nuclear (quando a opacificação é no núcleo central do olho, o cristalino) e a catarata subscapular (quando a catarata começa na parte de trás do cristalino e se espalha para a periferia ou bordas). O estudo não encontrou nenhuma associação entre o tabagismo e a catarata cortical, em que a nebulosidade afeta o córtex da lente.
 
"Embora a catarata possa ser removida cirurgicamente para restaurar a visão, muitas pessoas permanecem cegas no mundo devido à falta de serviços cirúrgicos adequados ou devido às despesas que envolvem a cirurgia. Por isto, identificar os fatores de risco modificáveis para a doença pode ajudar a estabelecer medidas preventivas eficazes contra a catarata, bem como reduzir os custos com o tratamento em todo o mundo”, diz o oftalmologista Virgílio Centurion, diretor do IMO, Instituto de Moléstias Oculares.
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *