O que você tem pode não ser uma simples azia mas sim a bactéria H. pylori

Posted by
Cerca de 70% da população tem H.pylori e não sabe. Segundo especialista, mais de 95% das úlceras são causadas por esta bactéria
 
 
Por Mariana Parizotto
 
 
Muita gente associa desconforto no estômago à azia ou gastrite, e acaba se automedicando inadequadamente. E, aí mora um grande perigo. Cerca de 70% da população brasileira tem H.pylori e não sabe. O Helicobacter pylori (H. pylori) é um bacilo em forma de espiral encontrado na mucosa que reveste o estômago humano.  
 
O problema é tão abrangente no Brasil que levou a Medley Indústria Farmacêutica a lançar hoje a primeira campanha de conscientização sobre a H. pylori no país. A contaminação pela bactéria ocorre normalmente na infância e adolescência. Porém, em países em desenvolvimento, como é o caso do Brasil, a incidência maior é na faixa etária dos 50 anos em diante. 
 
Como a contaminação é por maio da água e alimentos, a prevenção é fundamental, tendo como base dois pilares: o saneamento básico e a higiene.
 
Sintomas e tratamento
 
Segundo o presidente da Federação Brasileira de Gastroenterologia, José Roberto de Almeida, se você tem queimação, refluxo, dor de estômago, azia e outras queixas constantes procure um gastroenterologista para saber a conduta médica mais adequada para seu caso. O diagnóstico, geralmente, é feito através de endoscopia e biópsia. 
 
O tratamento é feito com a associação de antibióticos e um medicamento que inibe a acidez.  A boa notícia é que as pessoas que têm a bactéria e passam por um tratamento tem próximo de 1% de chance somente de voltar a ter úlcera ou gastrite em um ano.
 
Entre as pessoas que não tratam, o índice aumenta para 95% de chance. Segundo o especialista, mais de 95% das úlceras são causadas pelo H.pylori.
 
Ao iniciar o tratamento contra a bactéria é possível curar definitivamente a úlcera, impedindo novas crises ou complicações. 
 
A campanha da Medley ocorre em pontos de venda, consultórios médicos e no Facebook, em uma página dedicada a esclarecimentos sobre a H.pylori (Clique aqui para ver).
 
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *