“Saúde do cérebro” é tema do Mês Mundial do Alzheimer

 Em setembro, escolas de ginástica para o cérebro estarão de portas abertas, com aulas gratuitas, incentivando a população a manter o cérebro ativo e saudável

 “Saúde do cérebro” será tema de oficinas e aulas gratuitas em setembro nas escolas de ginástica para o cérebro SUPERA, que está presente em todos os estados brasileiros.

A ação, que acontece para celebrar o Mês Mundial do Alzheimer, visa incentivar a população a cuidar do cérebro, praticando exercícios que retardam o declínio cognitivo comum ao avanço da idade.

Segundo os especialistas da rede SUPERA, alguns hábitos ajudam a manter a saúde do cérebro, como a prática regular de exercícios físicos, qualidade do sono, boa alimentação e, é claro, estímulos para os neurônios, que melhoram a memória, a concentração e o raciocínio.

“Somos inteiramente dedicados à ginástica cerebral e a tudo que envolve a saúde do cérebro, então o Mês do Alzheimer é uma grande oportunidade para convidarmos o público a exercitar os neurônios”, afirma Solange Jacob, diretora pedagógica nacional do SUPERA.

A ginástica cerebral fortalece a conectividade, melhorando resolução de problemas complexos, inteligência emocional, agilidade, flexibilidade mental e liderança estratégica, consideradas as melhores habilidades para ter sucesso no mundo atual.

Além de melhorar a performance do cérebro, os exercícios para o cérebro são importantes para a aprendizagem e o adiamento de declínio cognitivo.

Hoje, 350 milhões de pessoas no mundo sofrem de depressão, muitas delas por uso indiscriminado de medicamentos e outras condições de saúde mental.

Ficar mentalmente afiado e enfrentar o declínio cognitivo relacionado ao envelhecimento está se tornando uma prioridade máxima, uma vez que a expectativa de vida está aumentando no mundo.

DEPOIMENTOS DE ALUNO SUPERA

A neurociência já comprovou que o cérebro começa apresentar declínio de alguns aspectos do desempenho cognitivo antes mesmo dos 30 anos de idade, quando temos os primeiros lapsos de memória, dificuldades para se concentrar e lentidão de raciocínio.

A boa notícia é que o cérebro compensa parte do declínio cognitivo, baseando-se em experiências e conhecimentos adquiridos. Isso mostra que seguir aprendendo coisas novas e “rechear a mente” com experiências e informações de qualidade podem ajudar a compensar parte da perda cognitiva.

Os alunos da rede SUPERA são as maiores provas dos benefícios da ginástica cerebral. Em 11 anos, mais de 70 mil pessoas já treinaram o cérebro no SUPERA.

“Eu sentia necessidade de exercitar o cérebro, principalmente porque tenho caso de Alzheimer na família. O curso veio em boa hora, com minha aposentadoria. Percebi melhoras na memória, nas atividades do dia a dia, como lembrar onde guardei as coisas, horários de consultas médicos e outras tarefas”, afirma a aluna Maria Santana de Souza, 71 anos, de Londrina (PR).

Sobre a metodologia SUPERA

Além de ter um método para desenvolver o potencial do cérebro, o SUPERA tem uma dinâmica de sala de aula interativa que prepara crianças, adultos e idosos para os desafios do cotidiano.

Atenção para aprender com mais facilidade e ir bem nos estudos. Agilidade de raciocínio para negociação e liderança no trabalho. Autoconfiança para comunicação e proatividade. Maior capacidade de memória e autonomia para ter mais saúde e qualidade de vida. Estes são alguns dos benefícios colhidos pelos nossos alunos. Com estas habilidades, o aluno melhora seu desempenho nos estudos, na carreira e na vida pessoal.

fonte: Assessoria de Imprensa SUPERA/foto de abertura: divulgação

 

Deixe um comentário