Como aceitar a maturidade sem lamentar o passado? Livro traz mais de 100 conselhos

Posted by

"As pessoas têm a tendência a adiar decisões importantes. As justificativas mais parecem desculpas. Se forem jovens, dizem que não precisam se apressar. Se forem idosos, dizem que é tarde demais. Não postergue as viagens, o regime alimentar, as visitas, a reforma da casa, as caminhadas, aprender um novo idioma, o livro que pretende escrever, etc. Cuidado para não se ver dizendo: "'ó depois que me aposentar' ou "'gora não dá mais; já estou aposentado'", diz a autora

Redação Plena

 

A passagem do tempo e o envelhecimento são inevitáveis. Mas como lidar com essas questões sem medo? Como aceitar a maturidade sem lamentar o passado? Em Amadurecendo com Sabedoria, obra publicada pela Boa Nova Editora, a escritora Anabela Sabino traz reflexões existenciais sobre sabedorias adquiridas na vida.

Em mais de 100 mensagens, Anabela procura fazer com que as pessoas saiam da zona de conforto e percebam o rumo que estão seguindo. São discutidas questões relacionadas à maturidade, bem-estar, saúde, relacionamentos, entre outros. Ela também fala sobre o quanto é importante não postergar decisões, aceitar que decepções são inevitáveis e que recomeços, muitas vezes, são necessários para enxergar a vida de forma mais positiva.

As pessoas têm a tendência a adiar decisões importantes. As justificativas mais parecem desculpas. Se forem jovens, dizem que não precisam se apressar. Se forem idosos, dizem que é tarde demais. Não postergue as viagens, o regime alimentar, as visitas, a reforma da casa, as caminhadas, aprender um novo idioma, o livro que pretende escrever, etc. Cuidado para não se ver dizendo: "Só depois que me aposentar" ou "Agora não dá mais; já estou aposentado".

Por meio de bons conselhos, ela pretende fazer com que os leitores reflitam sobre os próprios comportamentos, auxiliando-os a apreciar as diversas possibilidades da vida. Afinal, a sabedoria está em apropriar-se dela sem desejar outra e fazer o melhor que pudermos com a vida que temos.

 

 

Deixe um comentário