Especialista indica filmes que trazem reflexões sobre a morte e o luto

Posted by

 

Luto na terceira idade e finitude da vida são temas bem presentes em diversos longas dos mais variados gêneros

Redação Plena /  Fonte: Perdas e Luto

Como pudemos observar há vários filmes interessantes que podem nos entreter, mas também, nos faz refletir sobre a morte, o morrer e o luto

 “Você tem que saber responder a essa pergunta: se você morresse agora, como você se sentiria a respeito da sua vida? ”. A frase é do filme Clube da Luta. A temática “morte” está presente em diversos longas, dos mais variados gêneros. Cinéfila confessa, a psicóloga Nazaré Jacobucci, especialista em luto, fez uma lista comentando os melhores filmes que tratam sobre o assunto.

 

Confira:

As Horas: Eu sou uma cinéfila confessa. Considero a sétima arte absolutamente sublime. O cinema fez parte da minha formação: meu trabalho de conclusão de curso em psicologia foi uma análise psicossocial do fenômeno suicídio no filme “As Horas“, no qual eu analisei o suicídio de Virginia Woolf. Como professora, considero filmes uma ótima ferramenta de auxílio para a compreensão de diversos conceitos. Os filmes não só nos divertem, mas são capazes de nos fazer refletir, favorecendo assim, novas formas de lidar com questões e conflitos do nosso cotidiano. Compartilho, então, algumas sugestões de filmes que nos convidam a uma reflexão sobre a temática da morte e do luto.

A Partida:  Kobayashi é um jovem trabalhador músico violoncelista, casado e desempregado, que retorna a sua cidade natal após a sua orquestra ter sido dissolvida. Ele consegue emprego numa pequena empresa de lavagem de defuntos que presta serviço para empresas funerárias. O novo emprego de Daigo irá lhe propiciar novas percepções sobre si e sobre sua vida. Interessante é que, no filme, é por meio desse trabalho que Daigo começa uma reflexão de cunho existencial sobre o sentido da morte e, consequentemente da vida. Para mim, um dos filmes mais belos que melhor ilustra os estigmas em torno do assunto.

PS Eu te amo: Holly Kennedy é casada com Gerry, um engraçado irlandês por quem é completamente apaixonada. Quando Gerry morre, a vida de Holly desmorona. Em profunda depressão, ela descobre com surpresa que o marido deixou diversas cartas que buscam guiá-la no caminho da elaboração do luto. Gosto desse filme, pois ele aborda um tema tão desconcertante – viuvez precoce – de uma forma equilibrada e leve.

Reine sobre mim:  No terrível atentado terrorista de 11 de setembro de 2001, Charlie Fineman perdeu tudo que lhe era mais caro: esposa, filhas, cachorro. Desde então Charlie largou sua carreira de dentista, se tornou um recluso, paranoico, depressivo e compulsivo por reforma. Charlie se nega a entrar em contato com as lembranças do seu passado e as emoções que as permeiam. Até que um dia Charlie reencontra seu colega de quarto dos tempos da faculdade Alan e sua vida começa a mudar de rumo. Esse filme é excelente para explorar o conceito dos 5 estágios do luto pelos quais boa parte das pessoas passa ao lidar com a morte.

Minha Mãe: Este filme explora a morte lenta da mãe de uma cineasta, ela sabe que sua mãe não tem muito tempo de vida. Porém, de início ela resiste a acreditar, mas ela sabe que a mãe está morrendo. Mia Madre é na verdade um filme de despedida, ou do quão difícil e angustiante uma despedida pode ser, por mais que seja há tempos aguardada.

Para sempre Alice: Este filme conta a história Alice Howland, uma linguista de sucesso, diagnosticada com Alzheimer aos 50 anos – o que é raro para a idade. O filme, por meio, da evolução do quadro clínico de Alice nos convida a refletir sobre a fragilidade humana diante dos contratempos da vida. Alice precisa se preparar para perder tudo aquilo que conquistou, ver sua vida e a de seus filhos passando rápido e lidar com o fato de que em pouco tempo ela não saberá mais quem ela é.

Luto na Terceira Idade: As perdas no último estágio da existência humana.

Hanami – Cerejeira em Flor: Este filme é absurdamente belo. Trudi descobre que seu marido Rudi está com uma doença terminal e, seguindo a sugestão do médico, decide fazer uma grande viagem de férias com ele. Porém, como a vida é absolutamente imprevisível Trudi morre subitamente, quando estão visitando o litoral, e Rudi decide ir ao Japão para lhe prestar uma última homenagem. Lá é a época do Festival das Cerejeiras em Flor. Este filme aborda com sensibilidade a morte de uma pessoa que é considerada fundamental e traz como pano de fundo a viuvez na terceira idade. Ele nos faz refletir sobre a brevidade da vida, assim como das flores de uma cerejeira.

Elsa & Fred: O filme aborda diversos aspectos vivenciados na velhice e, entre os temas, está a dificuldade em superar o luto por viuvez. Fred é um pacato senhor de 78 anos que se muda para um novo prédio, logo após ficar viúvo, e conhece Elsa sua vizinha que tem quase 80 anos. Ela, que sofre de grave doença, é muito otimista e comunicativa, e tenta viver intensamente cada dia, enquanto Fred é um hipocondríaco e quieto. Mesmo com essas diferenças, e pela insistência de Elsa, essas diferenças são superadas e juntos redescobrem o prazer de viver, a cumplicidade e a amizade.

No filme, é revelada a possibilidade do encontro com a vida, principalmente no campo dos afetos.

Como pudemos observar há vários filmes interessantes que podem nos entreter, mas também, nos faz refletir sobre a morte, o morrer e o luto. Boa reflexão!

Deixe um comentário