Intensificação do impulso sexual nas pessoas idosas: por que isso ocorre?

Diante dos impulsos sexuais das pessoas mais velhas, muitos familiares tendem a agir de forma preconceituosa ou moralista. Mas, por que isso ocorre? Segundo a Drª Ana Fraiman, a solidão e o isolamento, entre outras questões, podem levar a tais comportamentos.

Para a Drª Ana Fraiman, a intensificação (ou exacerbação) do impulso sexual em idosos pode ocorrer  por vários motivos: às vezes pode ser  uma agressão à própria família, pois na condição de velho o homem está tão sufocado que adota uma posição machista de comportamento para se impor.  No entanto, segundo Ana, “algumas doenças ou  drogas existentes em certas medicações também podem provocar esse tipo comportamento. Em todo caso, trata-se de uma conduta comum,  principalmente, em pessoas idosas que vivem em casas de repouso, asilos etc”.

A solidão e a necessidade de se sentirem acariciados podem levar alguns idosos (ou idosas) a agirem de forma extremamente sexualizada.

Ana afirma ainda que neste caso o homem costuma molestar enfermeiras e companheiras de quarto e é preciso compreender que certos sentimentos de solidão despertam a necessidade de  contato sexual. “Se o velho não tem companheira, não está satisfeito com suas relações familiares e não recebe carinho físico, pode buscar , através de maneiras casuais e  até com pessoas mais jovens, formas de obter este carinho”, ressalta. “Isso também ocorre com as mulheres idosas e, nestes casos, elas costumam ficar agitadas e por não saberem do que se trata, tendem a reprimir tais impulsos. Mas, assim como os homens, elas podem se masturbar, embora não aceitem isso de forma consciente”.

Ana destaca também que, nas idosas, este tipo de comportamento pode se revelar na maneira de se sentar, na forma de se vestir ou durante a higiene. “A mulher idosa quando isolada também apela para  jogos sexuais com suas companheiras para obter carinho, embora, muitas vezes, não chegue ao orgasmo”, destaca.

O que a família pode fazer?

Para Ana Fraiman, “a família deve  entender que o contato físico é necessidade básica (também) das pessoas mais velhas e que se não for ocasionada por doença a  sexualidade na velhice  é sinal de saúde. Esse comportamento não deve ser censurado ou reprimido, mas a família deve conversar com os velhos a respeito, proporcionar oportunidade para que eles tenham amigos e uma vida social normal. Na idade mais avançada o sexo não comporta precisamente o ato sexual, mas a necessidade de contato de pele, um envolvimento emocional profundo existente na troca afetiva”, conclui.

Deixe um comentário