Luto e abandono familiar: saiba mais sobre os desencadeadores do alcoolismo em idosos

Posted by
Consumo excessivo de álcool depois dos 60 anos amplia em até oito vezes o desenvolvimento de doenças cognitivas como Alzheimer; veja o que diz psicóloga

 

 

 

 

Por Jaqueline Santos

Morte do companheiro ou companheira, aposentadoria e abandono familiar são  fatores  que encaminham o idoso para uma perigosa doença: a depressão. E neste processo, muitas vezes a válvula de escape é a bebida alcoólica, o que pode desencadear uma série de problemas. 
 
Um dos maiores riscos da ingestão excessiva de álcool na terceira idade é o efeito que ele causa quando associado a alguns remédios, levando até mesmo à morte.
 
Segundo levantamento feito por um grupo de pesquisadoras da Universidade de São Paulo com 1.145 idosos, outro agravante da parceria com o álcool depois dos 60 anos é que ele amplia em até oito vezes o desenvolvimento de doenças cognitivas como Alzheimer e outras demências.  
 
De acordo com a psicóloga e coordenadora terapêutica da Clínica Maia, Ana Cristina Faria, a incidência do alcoolismo na terceira idade está cada vez mais alta no Brasil. “Hoje de 9% a 10% das pessoas que têm problemas com drogas ou álcool são idosos”, explica. 
 
Como o uso do álcool na terceira idade está ligado a um processo depressivo – que muitas vezes é causado pelo sentimento de “inutilidade” – Ana Cristina aconselha que a família esteja presente e acolha o idoso. “É importante fazer com que eles se sintam úteis, capazes, integrem a família, que eles tenham uma rotina saudável para que a solidão não abra a porta para a depressão e consequentemente para o alcoolismo”, diz. 
 
Sobre o tratamento, a psicóloga alerta que deve ser mais voltado para a socialização e que é fundamental procurar a ajuda profissional.  
 
 
 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *