Os paradigmas da geração dos 50+

Eu me pergunto: o que é que está acontecendo neste nosso mundo? Como é que eu cheguei aqui e onde é que eu vou parar nos próximos 20, 30 ou 40 anos? Como um cara razoavelmente inteligente como eu não percebeu o que me aguardava?

Guido Seelig**

Para onde foram aquelas previsões que fiz quando jovem, me imaginando “rico”, aposentado aos 50, com excelente seguro de vida pra família e um plano de saúde com quarto privativo, com um sítio ou casa na praia, filhos criados, netos ao redor e uma boa grana aplicada na poupança? Acho que muitos dos 50+ cresceram também com essa forte impressão de que a velhice começaria aos 45/50 e que tudo aconteceria como planejado… Ops...

Como é que eu não vi este mundo se transformando tão rapidamente, assim, na minha cara? Mudou tudo; quase tudo, tá mudando todo dia, e vai mudar muito mais, e de maneira tão rápida que será preciso prestar sempre atenção em volta, tentando entender como as coisas estão sendo feitas e pensadas “hoje”.

O amanhã não será como imaginamos. Longe disso.

Velhas formas de fazer as coisas simplesmente não funcionam mais e certamente não vão funcionar no futuro. Está surgindo uma numerosa e crescente classe de “maduros não resolvidos”. Gente que simplesmente não pode parar, ou por necessidade financeira, ou por questões emocionais. Ninguém, em idade alguma, quer parar de se sentir vivo, útil, ouvido e considerado.

Empregos tradicionais já são “coisa rara” até para os jovens, quanto mais para os 50+. Empreender é uma saída para tantos, mas, como, se nosso país vem nos espremendo, sugando e maltratando há tanto tempo? Impostos, taxas, juros, propinas…. E os custos com saúde? Estão ficando insustentáveis. Milhares de pessoas perdem seus planos de saúde diariamente!! E a tendência é ficar ainda mais caro. Como faremos?? O SUS vai dar conta do recado?

Está surgindo uma numerosa e crescente classe de “maduros não resolvidos”. Gente que simplesmente não pode parar, ou por necessidade financeira, ou por questões emocionais. Ninguém, em idade alguma, quer parar de se sentir vivo, útil, ouvido e considerado.

Muitos falam em reinventar, se reinventar… Particularmente, acho que o mundo mudou tanto que agora a solução é inventar.  Mais fácil falar do que fazer… eu sei… Mas uma coisa é certa, temos uma grande capacidade de adaptação à situações inusitadas. Não foi só a idade que nos ensinou isso. O Brasil ajudou bem… Chegar até aqui já nos capacitou, com louvor, a andar na corda bamba. E, pelo jeito, isso não será muito diferente nos próximos anos…

Na realidade, aos 50, parece que a gente quer é recomeçar, renovar, arriscar novos projetos e tentar realizar sonhos que não conseguimos no primeiro meio século de nossas vidas … ouch... pensar que já passamos de meio século… se falar pra alguém, vão te olhar como se fosse um  “monumento histórico”… mas, cá entre nós, que baita privilégio nos foi dado pela vida!

Temos 50 anos ou mais, mas estamos em forma, experientes, vividos, maduros. Nossos cabelos brancos mostram os quilômetros rodados; as rugas, nossas marcas dos anos acumulados. Portanto, em teoria, temos as ferramentas pessoais para aproveitar a “nova longevidade” da forma que decidirmos agora.

Temos só 50+. Podemos construir o nosso amanhã.

Velhos paradigmas, conceitos, preconceitos e as obsoletas maneiras de se enxergar os maduros precisam de um “Ctrl + Alt + DEL”. Esquece tudo. Restarta a máquina e começa de novo. É um novo mundo; alô…. acorda…estamos num novo mundo!

 

Muitos falam em reinventar, se reinventar… Particularmente, acho que o mundo mudou tanto que agora a solução é inventar.  Mais fácil falar do que fazer… eu sei… Mas uma coisa é certa, temos uma grande capacidade de adaptação à situações inusitadas. Não foi só a idade que nos ensinou isso. O Brasil ajudou bem… Chegar até aqui já nos capacitou, com louvor, a andar na corda bamba. E, pelo jeito, isso não será muito diferente nos próximos anos…

Enfim, se a maturidade nos traz imensos desafios, também nos proporciona  um mar de oportunidades. Se empregos tradicionais ficarão cada dia mais escassos, empreender se tornará necessário. Vender “tempo”, conhecimentos e experiência será a nova forma de ganhos pessoais para os 50+.

Precisamos descobrir como fazer isso. Precisamos inventar!

 

**Guido Seelig é leitor assíduo das matérias que publicamos (o que muito nos alegra) e aceitou nosso convite para refletir e escrever sobre como é ter mais de 50 anos, hoje, em um mundo que ainda não aprendeu a lidar com essa gente mais velha que ‘ousa’ querer continuar ativa e lúcida.

Guido tem  56 anos, é casado, pai de 3 filhos, avô de um neto, carioca morando no interior de São Paulo há 25 anos, hoteleiro de profissão, profissional de marketing por vocação, idealista, otimista, sonhador e ainda com muito por fazer.  Atuante em Associações e Conselhos Municipais. Atualmente formatando um projeto focado nos 50+, o ‘Clube da Experiência’, a ser lançado em breve. (foto arquivo pessoal)

3 de comentários

  1. Inventar? Já inventaram tudo. Ou quase tudo.!!! O que temos que fazer é simplesmente não parar. Há muito o que apreender. Sim. Essa madura juventude nos coloca em condição de sugar a tecnologia disponível e nos lançar. Em um outro ritmo. Há que não temer o desconhecido, mesmo porque já dizia o Pedro Nava que experiência é um farol virado para trás. O inusitado o é para todos.
    “Das coisas da natureza, a que eu admiro mais, é o dia seguindo na frente, e a noite correndo atrás, pois a vida que o dia leva, a noite carrega e não trás”
    (tenho 64 anos e estou estudando inglês em Malta)

  2. Texto muito interessante. Levei para:
    – WhatsApp
    https://www.facebook.com/maturijobs/
    Mini-documentário “Profissão Maturi”, idealizado a partir da contribuição da Comunidade MaturiJobs.
    Assista em: maturijobs.com/doc

    Um novo olhar sobre os profissionais maduros
    Agora as empresas que ainda não contratam profissionais com mais de 50 anos vão poder descobrir o que estão perdendo!

    Compartilhe este filme e nos ajude a fazer essa mensagem chegar cada vez mais longe.

    Utilize as seguinte opções:
    Hotsite: maturijobs.com/doc
    Vimeo:

    YouTube: youtu.be/PC1aHZ-lPl0

    Este documentário foi viabilizado através de uma campanha de financiamento coletivo realizada durante o Dia de doar, em 29/11/2016, onde 90 pessoas da comunidade de amigos, usuários e parceiros da MaturiJobs doaram mais de R$ 4 mil reais em apenas 24 horas para que pudéssemos tangibilizar com um filme casos de contratações de 50+ que possam servir de exemplo para outras empresas e gerar uma conscientização e discussão sobre este assunto em todo o país.
    Nosso objetivo é quebrar os paradigmas que existem sobre os maturis no mercado de trabalho!

    Saiba mais sobre a campanha em: juntos.com.vc/video-maturijobs

    Conheça as empresas que estão presentes no filme:
    7bi – http://www.7bi.me
    Nuper – http://www.nuper.club
    Reos Partners – http://www.reospartners.com
    Senior Concierge – http://www.seniorconcierge.com.br
    TeleHelp – http://www.telehelp.com.br
    Top Safe Certificação Digital – http://www.topsafecertificados.com.br

    Coordenação: Mórris Litvak

    Direção: Alek Ribet

Deixe um comentário